Assistência Social Beneficente de Resgate e Amparo à Criança

Governo pretende tirar 320 mil famílias da extrema pobreza este ano

 

Meta foi estabelecida durante reunião entre a presidenta Dilma Rousseff e equipe para debater o Plano Brasil Sem Miséria. Planalto também prevê ampliar o número de estados que oferecem complementação para o Bolsa Família, segundo a ministra Tereza Campello

Brasília – O governo federal intensificará a estratégia de busca ativa para incluir, até o fim deste ano, mais 320 mil famílias extremamente pobres no Cadastro Único para Programais Sociais, a fim de que possam ser beneficiadas pelo Bolsa Família e outras ações. Essa é uma das metas do Plano Brasil Sem Miséria para 2012, definidas nesta quinta-feira (19) durante reunião entre a presidenta Dilma Rousseff e ministros, no Palácio do Planalto.

Outra meta é pactuar com estados e municípios mais 300 mil vagas em cursos de qualificação por intermédio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Brasil Sem Miséria, disse a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, pouco depois de sair da reunião com a presidenta. No ano passado, o plano pactuou 61 mil vagas para o Pronatec.

Ainda segundo a ministra, o governo federal pretende estabelecer novos pactos com os estados para complementar a renda das famílias localizadas pelo Brasil Sem Miséria. Hoje, lembrou Tereza Campello, nove estados já participam do plano. “Essa estratégia é importante porque não só unifica os cadastros, mas complementa a renda.”

Graças ao estabelecimento do pacto com os noves estados, 450 mil famílias vão receber este ano o Bolsa Família e a complementação, destacou Tereza Campello. “São 250 mil só no Rio de Janeiro. Essa ação continua e vamos conversar com os governos estaduais, projetando que podemos ter novos estados participando dessa iniciativa.”

Crianças – A presidenta orientou que as ações do Brasil Sem Miséria voltadas às crianças de 0 a 5 anos sejam fortalecidas, assinalou a ministra. “No ano passado, incluímos 1,3 milhão de crianças no Bolsa Família.”

Durante a reunião com Dilma, os ministros também decidiram reforçar as ações voltadas às gestantes e nutrizes. A meta para este ano é oferecer 120 mil bolsas para gestantes e 150 mil para nutrizes, totalizando 270 mil benefícios. “No ano passado, foram 130 mil bolsas para gestantes e nutrizes.”

O governo quer ainda chegar ao fim de 2012 garantindo assistência técnica para 215 mil famílias de agricultores em extrema pobreza (85% delas estão no Nordeste). Até dezembro, a meta é oferecer o serviço para 179 mil famílias. Elas vão se somar às 36 mil que contam com assistência técnica rural desde o ano passado.

“Vamos começar essa agenda voltada aos agricultores familiares com assistência técnica, distribuição de sementes e instalação de cisternas”, disse Tereza Campello. Isso, completou, garantirá atendimento com qualidade.

Balanço – O Brasil Sem Miséria superou, em seis meses, todas as suas metas. Entre junho e dezembro de 2011, 407 mil famílias em situação de pobreza extrema foram localizadas pela busca ativa e incluídas no Cadastro Único para receber o Bolsa Família.

Outras ações do Brasil Sem Miséria em 2011 foram a instalação de 315 mil cisternas e a participação de 82 mil novos agricultores no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).


Você também vai gostar de ver:

Endereço

Rua dos Macucos, 14
Pq. dos Pássaros
SBCampo
(11) 4392-7492